Educação Para a Nova Economia

Vivemos um momento de grandes transformações, momentos em que surgem as crises, mas também grandes oportunidades.
Para falar de economia, temos que falar um pouco de historia. Vivemos quatro épocas na historia da humanidade.

A primeira, foi a Era da Caça e Coleta, quando a fonte de riqueza era a própria natureza. As tribos perseguiam as manadas ou procuravam por comida. A tribo representava a segurança social e todos eram pobres.

Quando as pessoas aprenderam a plantar sementes e domesticar animais, a terra tornou-se a fonte de riqueza, foi a segunda Era, a Agrícola. Reis e rainhas possuíam terras e todos os outros trabalhavam nela, pagando impostos para a realeza. Haviam apenas dois grupos, os ricos e os camponeses.

A terceira época, foi a Industrial, quando recursos como petróleo, cobre, estanho e borracha significavam riqueza. Enquanto na Era Agrícola as terras precisavam ser fertéis para ter valor, na Era Industrial terras não-agricultáveis tornaram-se mais valiosas. Surgiu a classe média, que com ricos e pobres, tornaram-se os três grupos socioeconômicos.

Vivemos hoje a Era da Informação, que surge com o processo de digitalização. A informação alavancada pela tecnologia é a fonte de riqueza e recursos baratos como o silício produzem riqueza. Pela primeira vez na história, a riqueza está disponível, acessível e abundante, para todos, independentemente de onde as pessoas estejam ou vivam.

Para conseguir riqueza hoje em dia, você não precisa ser um conquistador que navega pelos novos mundos, não precisa construir uma fábrica de automóveis ou empregar milhares de trabalhadores.

Você precisa de conhecimento e precisa ter a informação certa!

Vejam o caso de Jan Koum, que nasceu em Kiev, capital da Ucrânia. Quando criança nunca teve água quente em casa, sobreviveu com cupons de comida e quando emigrou para os Estados Unidos com 17 anos se transformou em milionário do Vale do Silício, pois a empresa que criou, o WhatsApp, tornou-se a maior aquisição da história do Facebook.

Filho de um mestre de obras e de uma dona de casa já falecidos, o perfil e a atitude de Koum são a antítese do que a priori se espera de um novo multimilionário dessa Meca de tecnologia, que é o Vale do Silício na Califórnia.

Orgulhoso de seu espetacular progresso e em um gesto carregado de simbolismo, Koum escolheu para assinar o acordo de US$ 19 bilhões, o Centro Social onde ia com sua mãe para receber os vales de ajuda.
Enfim, não são os ativos que fazem você ficar rico ou pobre, mas sim a informação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *